Energética

A Climacom tem nos seus quadros recursos humanos e técnicos para realizar auditorias Energéticas.

 Decreto-Lei n.º 118/2013 de 20 de agosto
A Diretiva n.º 2002/91/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de dezembro de 2002, relativa ao desempenho energético dos edifícios, foi transposta para o ordenamento jurídico nacional através do Decreto-Lei n.º 78/2006, de 4 de abril, que aprovou o Sistema Nacional
de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior nos Edifícios, do Decreto-Lei n.º 79/2006, de 4 de abril, que aprovou o Regulamento dos Sistemas Energéticos de Climatização em Edifícios, e do Decreto-Lei n.º 80/2006, de 4 de abril, que aprovou o Regulamento das caraterísticas de Comportamento Térmico dos Edifícios. Neste contexto, o Estado promoveu, com forte dinamismo, a eficiência energética dos edifícios e, por essa via, adquiriu uma experiência relevante, que se traduziu não só na eficácia do sistema de certificação energética,
mas também no diagnóstico dos aspetos cuja aplicação prática se revelou passível de melhoria.

Artigo 13

Técnicos do Sistema de Certificação Energética dos Edifícios
1 - São técnicos do SCE os PQ e os TIM.
2 - O acesso e exercício da atividade dos técnicos do SCE, o seu registo junto da ADENE e o regime contraordenacional aplicável são regulados pela Lei n.º 58/2013,
de 20 de agosto.
3 - Compete aos PQ:
a) Fazer a avaliação energética dos edifícios a certificar no âmbito do SCE, não comprometendo a qualidade do ar interior;

Marcas de preferência (*)
(*) Não existe nenhum vínculo obrigatório mas somente uma relação comercial de preferência estando abertos à comercialização de outras marcas conforme exigências pretendidas.